Fonte: Redação

17/12/2015


Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal dos municípios do Sudoeste


O IFDM – Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal – é um estudo do Sistema FIRJAN que acompanha anualmente o desenvolvimento socioeconômico de todos os mais de cinco mil municípios brasileiros em três áreas de atuação: Emprego & renda, Educação e Saúde. Criado em 2008, ele é feito, exclusivamente, com base em estatísticas públicas oficiais, disponibilizadas pelos ministérios do Trabalho, Educação e Saúde. Os resultados do IFDM são 2015 com ano base de 2013.

Metodologia


Sua metodologia possibilita determinar, com precisão, se a melhora relativa ocorrida em determinado município decorre da adoção de políticas específicas ou se o resultado obtido é apenas reflexo da queda dos demais municípios.


Desde 2014, a metodologia do IFDM foi aprimorada para captar os novos desafios do desenvolvimento brasileiro para esta nova década. O principal incremento foi situar o Brasil no mundo. A nova metodologia buscou padrões de desenvolvimento encontrados em países mais avançados, utilizando-os como referência para os indicadores municipais. Outro ponto importante foi a atualização de metas e parâmetros nacionais. Neste caso, o ano de referência deixou de ser 2000 e passou a ser 2010.


Leitura do IFDM


De leitura simples, o índice varia de 0 (mínimo) a 1 ponto (máximo) para classificar o nível de cada localidade em quatro categorias: baixo (de 0 a 0,4), regular (0,4 a 0,6), moderado (de 0,6 a 0,8) e alto (0,8 a 1) desenvolvimento. Ou seja, quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento da localidade.


Realeza


O município de Realeza está em sexto lugar na região Sudoeste, entre as cidades mais desenvolvidas, e em 42º no Paraná.


O resultado do IFDM consolidado de Realeza é de 0.8016, ou seja, em alto desenvolvimento.


Já nas áreas de desenvolvimento, o índice é o seguinte; educação 0.9383, saúde 0.8124, ambos em alto desenvolvimento, e emprego e renda 0.6540 como desenvolvimento moderado.


A Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná (AMSOP) reuniu os dados da região, que podem ser conferidos na tabela.


Compartilhe: