Fonte: Assessoria

12/04/2016


Leite Sudoeste inicia capacitação de técnicos de laticínios e prefeituras


O projeto Leite Sudoeste liderado pela Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná (Amsop) iniciou na terça-feira (5) mais uma etapa de capacitação de técnicos que atuam no projeto. Desta vez houve a inclusão de mais de 50 profissionais que atuam nos laticínios da região além de médicos-veterinários e técnicos em agropecuária das prefeituras do Sudoeste.

A proposta é ofertar informações de toda a gestão da propriedade para que estes levem aos produtores incluídos no projeto para melhor desempenho na atividade. Para isso serão disponibilizadas 144 horas de curso divididas em 11 módulos no ano com encontros nas microrregiões de Pato Branco e Francisco Beltrão. Serão trabalhados desde aspectos de qualidade, ordenha, planejamento, gestão de rebanho, nutrição, melhoramento genético, bem estar animal, sanidade e demais temas que envolvam a atividade. O curso será ministrado por consultores do Senar.

A abertura do curso ocorreu no auditório da Amsop e foi prestigiada pelo presidente da Amsop o prefeito de Marmeleiro Luiz Bandeira, o coordenador da área de produção animal do projeto Luiz Rodolfo Gertner, os gerentes regionais da Emater, Orley Lopes (Beltrão), Luiz Lovato (Pato Branco), Valdir Kock (DV), os chefes dos escritórios regionais da Seab de pato Branco Ivano Carniel, e Neri Munaro (Beltrão), o supervisor regional do Senar Eduardo Marcante, o representante do Sindleite Thiago Alberto Pereira, representante da Unicafes Ivori Fernandes e o chefe do pólo regional do Iapar João Ari Hill.

Profissionalização da atividade

O presidente da Amsop deu as boas vindas aos participantes e reiterou a preocupação da entidade com o projeto Leite Sudoeste e dos esforços que estão sendo feito em conjunto para fazer a diferença lá na propriedade. “Desde que o projeto foi criado estão sendo feitas uma série de ações e buscadas outras novas para beneficiar o produtor de leite, lá na sua atividade. Então vejo que um curso como este vai contribuir em muito para tornar a propriedade mais profissional e com isso melhorar a renda e qualidade de vida do produtor”, enfatizou. Bandeira também comentou sobre a luta continua para conseguir viabilizar a compra dos carros. “A questão é burocrática e todos estão envolvidos para efetivar essa aquisição, que logo deve ser concluída beneficiando os 42 municípios do Sudoeste”, frisou.

O chefe do escritório regional da Seab de Francisco Beltrão enalteceu a participação dos técnicos e detalhou a programação do curso, além de resgatar os andamentos do projeto até aqui e o que está por vir. Ainda passou um panorama da cadeia produtiva no país e no Estado e salientou os efeitos que o projeto pretende. “O Leite Sudoeste une a região em torno da cadeia produtiva para que todos os municípios obtenham bons resultados. Tivemos um curso entre 2013 e 2014 em parceria com prefeituras e Emater que treinou 98 técnicos, e agora avançamos para parcerias com os laticínios”, salientou Munaro.

Marco zero

Nesses dois primeiros dias de treinamento (dias 5, e 6) as orientações foram repassadas pelo consultor do Senar Sidnei Aparecido Baroni que trabalhou a gestão da propriedade partindo para a implantação da metodologia utilizada pelas assistências técnicas. “Nesse primeiro momento abordamos dois momentos, sendo o primeiro através de uma reflexão sobre a organização da propriedade e uma visão geral do modelo praticado. Queremos que os técnicos tenham uma percepção total da gestão do negócio que envolve a cadeia do leite e como podem contribuir para que o produtor deixe um pouco de lado suas atitudes tomadas mais por instinto do que por ações comprovadamente eficientes”, comentou Baroni. Os participantes do curso também preencheram um termo de compromisso assim como a adesão das empresas inseridas.

Compartilhe: