Fonte: Assessoria Amsop

25/11/2016


Grupo de trabalho vai estudar cenário atual da água no Sudoeste


A preocupação em comum com o futuro do meio ambiente e principalmente da água na região Sudoeste do Paraná, e em especial por parte de integrantes da governança do Plano e Desenvolvimento Regional Integrado (PDRI) resultou na criação de um grupo de trabalho sobre o tema. Depois do assunto surgir nas reuniões mensais do PDRI, a equipe de atuação foi formalizada na tarde de quinta-feira (10) na sala de reuniões da Agência de Desenvolvimento Regional.

No encontro confirmaram contribuição aos estudos os professores Wagner de Aguiar (UTFPR) campus de Francisco Beltrão; Elvis Hendges (Unioeste) campus Francisco Beltrão; Isabel Soares (UFFS) campus Realeza, e Juliano Andres (Unioeste) campus Francisco Beltrão. Também fazem parte dos trabalhos Gilso Mussi dos Reis (Sanepar); Odenir de Barba (SEMA), Sérgio Luiz Carniel (Emater), e Célio Boneti, diretor da Agência e coordenador do PDRI. Outros profissionais de ensino e pesquisadores serão convidados a integrar o grupo.

Neste primeiro debate foi definido, entre outros aspectos, que a denominação será Grupo Estratégico - Temática Águas Sudoeste, e que haverá reuniões mensais para designar ações e atualizar os avanços nos trabalhos. Também haverá participação do grupo no seminário que está sendo organizado pela SEMA e suas vinculadas em março do próximo ano, em Francisco Beltrão.

Motivação

Segundo Boneti o grupo surgiu depois que o tema água apareceu com certa frequência nos debates das Cadeias Produtivas Propulsivas, um dos eixos estruturantes do PDRI. “Verificou-se que dentro da proposta de desenvolvimento regional integrado a água apareceu com grande relevância principalmente no que tange a atuação das Cadeias Produtivas Propulsivas. Porém, sabe-se pouco sobre a realidade atual e muito menos do futuro seguindo o atual modelo de produção. Então a governança entendeu que seria necessário criar um grupo técnico especifico, até para dar subsídios para os demais estudos e ações da governança”, explicou o diretor da Agência.

Alguns dados apresentados por integrantes do grupo, já no primeiro encontro, reforçaram a preocupação como o tema. Carniel, da Emater, por exemplo, citou que alguns municípios da microrregião de Francisco Beltrão tiveram uma redução de mais de 40% nas nascentes por conta de ações humanas. Já Reis, da Sanepar, lembrou que centenas de poços artesianos foram perfurados na região nos últimos anos, e que muitos foram desativados por falta de água enquanto outros servem apenas como fossa. Informações mais precisas e outros aspectos serão tratados nos próximos encontros.

Compartilhe: