Fonte: Assessoria/Dep. Assis - Foto: Alexandre Amarante

30/11/2016


Votação do PL do Preço Mínimo do Frete é adiada na Comissão de Viação e Transporte


Ficou para a próxima semana a votação do Projeto de Lei 528/2015, de autoria do deputado federal Assis do Couto (PDT-PR), que regulamenta um preço mínimo para o serviço de frete no Brasil. A votação estava prevista para esta quarta-feira (30). No entanto, houve um pedido de vista ao projeto pelo deputado Edinho Bez (PMDB-SC).

Caminhoneiros autônomos de várias partes do Brasil estiveram em Brasília para acompanhar a votação do projeto. O deputado Celso Maldaner (PMDB-SC) apresentou relatório favorável à aprovação do projeto. Regimentalmente, o relatório não poderia ser lido, levando em consideração o pedido de vista. No entanto, em respeito aos caminhoneiros que acompanhavam a sessão, o presidente da Comissão de Viação e Transporte, autorizou a leitura do relatório.

O deputado Assis agradeceu, imensamente, a presença dos caminhoneiros no Plenário 11 da Câmara dos Deputados. “Tivemos um dia tumultuado hoje. Ontem, tivemos problema na explanada. Tivemos votação até as 4h30min da madrugada. Isso dificultou um pouco o desempenho nessa comissão. Quero dizer que o quórum dado aqui é pelo esforço do presidente. Porque aqui temos caminhoneiros de várias regiões do País”, pontuou Assis.

Ele afirmou que é importante que a Câmara dos Deputados preste atenção às demandas dos caminhoneiros e que dê respostas animadoras à categoria. “Como autor do projeto, quero parabenizar a presença dos representantes da categoria, aqui em Brasília, num movimento pacífico. Um movimento ordeiro, propositivo, em que pese a circunstância, a dificuldade. Muitos caminhoneiros estão parando na obrigação, estão tendo busca e apreensão do seu instrumento de trabalho. É um momento bastante difícil e eles estão aqui pedindo socorro. E pedindo que esta Casa olhe para esta categoria. E, com certeza, os pares desta comissão e das outras que o projeto vai tramitar, terão esta sensibilidade”, discorreu o parlamentar.

De acordo com o pedetista paranaense, os parlamentares têm o compromisso de ouvir, na Câmara dos Deputados, todos os setores da sociedade. “Eu não gostaria de ver os caminhoneiros, setor tão importante da economia neste País, em uma situação como vi ontem na explanada dos ministérios. Então, é essa a nossa responsabilidade: deixar aberto este canal de interlocução e exigir dos caminhoneiros que eles se organizem cada vez mais para, também, manter esta interlocução de forma democrática, ordeira e pacífica”, pontuou.

Para finalizar, Assis desejou que uma saída democrática, institucional e pacífica seja encontrada para a grave crise que assola o setor de cargas no Brasil.

Compartilhe: