Fonte: PPNewsFB e Massa News

04/01/2017



A população de Salto do Lontra e região está chocada e revoltada com a descoberta de crimes praticados por uma mulher contra os próprios filhos recém-nascidos.

Marli Cavalheiro Risso, 30 anos, deu a luz a um bebê na quarta-feira, 28 de dezembro de 2016, em Santa Izabel do Oeste. Ela permaneceu internada no hospital até sexta-feira (30), quando recebeu alta. Após isso, matou o filho recém-nascido por esganadura e colocou a criança dentro de uma caixa de papelão e escondeu em um dos cômodos da residência em Salto do Lontra.

Quando a polícia foi comunicada na segunda-feira (02) e chegou ao local, encontrou o bebê de 3.340kg na caixa já morto. Marli foi levada a delegacia e confessou o crime e disse estar com depressão pós-parto.

Ela alegou que escondeu a gravidez do marido e dos familiares. Este é o quinto filho dela. O marido disse que ela usava uma faixa na barriga para esconder a gravidez.
O corpo do recém-nascido foi removido para o Instituto Médico Legal (IML) de Francisco Beltrão para necropsia.

A partir da descoberta, a Polícia Civil, com apoio de outros órgãos da saúde e segurança pública, iniciaram as investigações.

Na manhã de quarta-feira (04), em entrevista coletiva a imprensa na 19ª Subdivisão Policial (SDP), o delegado Ricardo Moraes Faria dos Santos, informou que Marli Cavalheiro Risso, confessou também em depoimento outro crime, onde teria matado em 2013 uma filha recém-nascida.

Ela declarou que deu a luz a uma menina no dia 26 de setembro de 2013, de parto normal (isso registrado no prontuário do hospital de Salto do Lontra), e quando estava indo para casa, esganou a criança até a morte e quando chegou em casa jogou o corpo da criança em uma fossa.

A polícia junto com a equipe do Corpo de Bombeiros fizeram buscas ontem (03), mas o corpo da criança não foi localizado.

No dia 02, ela confessou a morte de outro filho, da mesma maneira, só que neste caso, a criança, um menino, foi encontrado em uma caixa de papelão, na casa onde ela estava.

Marli é casada, têm outros cinco filhos, dos quais quatro moram com ela e um fora. O marido alegou que não sabia da gravidez da mulher e das mortes.

Em depoimento ao delegado ela alegou que não queria mais filhos e por isso os matou. Ela está presa, foi indiciada por infanticídio e homicídio, porém a polícia não descarta a participação de outra pessoa nos crimes.

Compartilhe: