Fonte: AEN

30/01/2017



A Copel iniciou a operação de uma nova subestação em Realeza, Sudoeste do Estado, que vai beneficiar 120 mil consumidores de 40 municípios. A subestação, batizada de Realeza Sul, recebeu R$ 47,5 milhões em investimentos e entrou em funcionamento quase dois meses antes do prazo estabelecido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Os trabalhos de construção duraram um ano e geraram 120 empregos diretos.

A nova subestação opera em 230 mil volts (kV), ou seja, repassa energia a subestações menores que distribuem a carga para o consumidor final. Por isso, ela beneficia diretamente sete cidades - Capanema, Capitão Leônidas Marques, Dois Vizinhos, Francisco Beltrão, Nova Prata do Iguaçu, Realeza, Santo Antônio do Sudoeste – e outros 33 cidades indiretamente.

Ela está instalada na área rural do município de Realeza, ao lado de uma antiga subestação de distribuição de 138 kV. As duas instalações passam, agora, a operar de forma integrada.

“Temos uma obra concluída antes do prazo, e, com isso, uma antecipação de receita. Esse é o melhor cenário quando pensamos na expansão de nossos negócios”, destacou o presidente da Copel, Luiz Fernando Leone Vianna. A entrada em operação desses ativos garante uma receita adicional de R$ 5,7 milhões à Companhia.

CONFIABILIDADE - Com as novas instalações, o fornecimento de energia elétrica de toda a região torna-se mais confiável, principalmente em épocas de calor. “O Sudoeste do Paraná convive com um fenômeno de crescimento exacerbado da demanda por energia quando as temperaturas sobem. Agora, com o reforço na rede, não há riscos de falta de energia”, explicou Vianna.

LINHA DE TRANSMISSÃO - Junto com a subestação Realeza Sul, a Copel também colocou em operação uma nova linha de transmissão, que a conecta com a subestação Foz do Chopim. Com 52 quilômetros de extensão, a linha passa pelos municípios de Realeza, Santa Izabel do Oeste, Salto do Lontra, Nova Prata do Iguaçu, Boa Esperança do Iguaçu, Cruzeiro do Iguaçu e Quedas do Iguaçu.

Esta nova linha impôs diversos desafios à Copel. O solo rochoso da região foi o primeiro enfrentado pelas equipes que fizeram a escavação das fundações das torres usadas no projeto.

A linha também teve que passar sobre o Rio Iguaçu. Para estender o cabo de energia de uma margem a outra, vencendo um vão de um quilômetro, a solução foi instalar duas torres gigantes, as maiores já construídas pela Copel – com 85 metros de altura cada.

A título de comparação, as outras estruturas usadas na linha têm, em média, 40 metros de altura e o vão entre elas é de 450 metros.

Projeto em números


- 52 km de linha de transmissão

- 117 torres instaladas

- 277 km de cabos

- 850 toneladas de aço (torres e cabos) - peso equivalente a 16 aviões Boeing 747

- 2 mil m³ de concreto nas fundações

- 120 empregos diretos gerados

- R$ 47,5 milhões investidos

Compartilhe: