Fonte: Assessoria Assis

07/02/2017


Prefeitos vão a Brasília pleitear construção de hospital na fronteira


Nesta quinta-feira (09), representantes dos municípios da região de Fronteira do Sudoeste estarão em Brasília (DF) para uma reunião com o ministro da Saúde, Ricardo Barros. O grupo, formado pelos prefeitos e secretários de saúde de Capanema, Planalto, Pérola do Oeste e Bela Vista da Caroba, vai debater com o ministro a construção de um hospital para beneficiar os municípios da região fronteiriça. Na sexta-feira (10) o mesmo assunto será tema de um debate na SESA (Secretaria de Saúde do Estado do Paraná), onde o grupo de autoridades participará de nova reunião.

Para ajudar na viabilização do novo hospital na região Sudoeste, o deputado federal Assis do Couto (PDT-PR) se comprometeu com os municípios a indicar emendas parlamentares individuais neste ano. O objetivo é agilizar a tramitação de recursos e de apoios do Ministério da Saúde e na Secretaria de Saúde do Estado do Paraná para iniciar a construção o mais rápido possível. “A Prefeitura de Capanema se comprometeu em doar o terreno, em um local estratégico na divisa com o município de Planalto. Eu me comprometi em indicar recursos para construir o hospital e, quando a obra estiver concluída, mais uma parcela de recursos para ajudar na compra de equipamentos para este novo hospital na fronteira”, disse Assis do Couto.

De acordo com o secretário de Saúde de Capanema, Jonas Weber, que também participará da reunião na Capital Federal, a ideia de construir um hospital na região da fronteira surgiu da necessidade de melhorar os atendimentos de saúde nos municípios em questão. “Para se ter uma ideia, só em Capanema são mais de 700 pessoas aguardando cirurgias eletivas. Hoje, nossos pacientes são mandados para Curitiba ou Francisco Beltrão”, ilustrou o secretário.

Segundo ele, o objetivo do novo hospital é ter uma maternidade, realizar cirurgias eletivas, cirurgias de urgência de pequeno porte, atendimento na urgência e emergência dos quatro municípios.

Em torno de 46 mil habitantes serão beneficiados com a construção do hospital. A ideia, de acordo com o secretário de saúde de Capanema, é administrar o hospital através de um consórcio intermunicipal de saúde. No dia 27 de janeiro o assunto foi apresentado em uma reunião do Cifra (Consórcio Intermunicipal da Fronteira). O deputado Assis do Couto esteve presente na reunião. “Agora nós estamos debatendo se o hospital será administrado pelo Cifra ou se vamos criar outro consórcio para fazer a gestão”, concluiu Jonas.

Compartilhe: