Fonte: Assessoria Amsop

28/04/2017


Amsop e Grupo Gestor entregam manifesto contrário ao fracking à Sema


Entidades do Sudoeste querem impedir a exploração do gás de xisto através do faturamento hidráulico, o chamado fracking. Durante o Seminário de Meio Ambiente realizado nesta quinta-feira em Francisco Beltrão a Amsop (Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná) e o Grupo Gestor do Território (GGETESPA) entregaram ao secretário da pasta, Antônio Carlos Bonetti, um manifesto assinado por diversas entidades que se posicionam contrárias ao fracking. 
 
Nos últimos meses a empresa Global Service, contratada pela Agência Nacional do Petróleo e Gás (ANP), vem realizando estudos e testes para a exploração do gás na região, e segundo o presidente da Amsop, Frank Schiavini, o processo de extração pode prejudicar a qualidade da água utilizada para o consumo e agricultura. “Não somos contra o desenvolvimento e a realização dos estudos, mas precisamos que seja encontrado um outro modelo de extração que não seja o faturamento hidráulico”, afirma.
 
O fracking consiste na perfuração profunda do solo para extração do gás de xisto, em que uma tubulação é inserida e transpassa o lençol freático.  A cada operação, água, areia e mais de 600 substâncias químicas, algumas bem tóxicas, são introduzidas em altíssima pressão para fraturar a rocha e assim liberar o gás.
 
O método tem gerado disputas sobre o uso da água no EUA e no Sudoeste alguns municípios já chegaram a elaborar leis que proíbem a utilização do faturamento hidráulico devido ao risco ambiental. O fracking, no entanto, é visto pelo governo federal como uma alternativa energética, já que o gás de xisto é um combustível fóssil que possui as mesmas características que o derivado de petróleo.
 
Seminário descentralizado
Este foi o primeiro evento descentralizado da Secretaria de Estado de Meio Ambiente. Em Francisco Beltrão o evento reuniu mais de 500 participantes entre lideranças políticas, técnicos e acadêmicos da área, que discutiram 13 diferentes temas relacionados ao meio ambiente. De acordo com o secretário Bonetti, outras regiões do estado agora devem receber o seminário descentralizado.

Compartilhe: