Fonte: Redação

21/06/2017



O Tribunal do Júri da Comarca de Realeza recebeu mais um julgamento na terça-feira, dia 20. O réu era acusado de ameaça, disparo de arma de fogo, tentativa de homicídio, e homicídio qualificado.

Segundo a denúncia do Ministério Público, o réu Leandro Roque dos Santos, vulgo Mortadela, era acusado de ameaça contra Tiago Antunes de Lara Bordin, e disparo de arma de fogo, ocorrido na madrugada do dia 25 de julho de 2015, em via pública em frente a um clube de danças de Realeza.

No dia seguinte, na madrugada do domingo, 26 de julho de 2015, no mesmo local, segundo a denúncia, Leandro e outra pessoa que não foi identificada, eram acusados de homicídio contra Rodrigo Roque Zamboni, que foi morto com um disparo de arma de fogo. E ainda, tentativa de homicídio contra Fábio de Lara Baumgardt. O acusado negou a autoria de todos os crimes.

O júri foi presidido pelo juiz da Comarca de Realeza, Christiano Camargo, na acusação o promotor do Ministério Público, Guilherme Brainer Caetano, e assistente o advogado Fernando Sartori Menegat, na defesa do réu o advogado nomeado Marcos Vinícius Tombini Munaro.

O réu foi absolvido da tentativa de homicídio, e condenado pela ameaça, disparo, e homicídio, a 14 anos e um mês de prisão, inicialmente em regime fechado, e continua a execução da pena na Penitenciária Estadual de Francisco Beltrão, onde está preso há dois anos. A defesa irá recorrer da decisão. Três testemunhas irão responder por falso testemunho, pois mudaram a versão dos seus depoimentos.

Compartilhe: