Fonte: Assessoria

21/06/2017



O cancelamento de convênios entre o governo do Estado e Prefeituras está mobilizando municípios e a Amsop (Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná) para a retomada das obras. Prefeitos de mais de 15 municípios afetados pela interrupção dos convênios se reuniram na terça-feira (20) na Amsop e pretendem articular com deputados estaduais da região e até com o governador Beto Richa a continuidade dos contratos, que se referem a pavimentação com calçamento no interior e que afetam quase todos os municípios do Sudoeste.
 
“Precisamos sensibilizar o governo sobre a necessidade da nossa região, que, em virtude do relevo, acaba optando pelas pedras irregulares como uma solução para as estradas rurais. Nos municípios as obras iniciaram e estão em andamento e por uma série de fatores foram canceladas pelo Estado sem a devida conclusão”, explica o presidente da Amsop e prefeito de Coronel Vivida, Frank Schiavini.
 
Os convênios são ainda de 2013 e 2014 e foram firmados pelas prefeituras com a Secretaria de Infraestrutura e Logística, através do Departamento de Estradas e Rodagem (DER).
 
Em muitos municípios as obras nem haviam chegado à metade e foram interrompidas devido a uma série de fatores que vão desde a demora para a preparação da pista ao atraso no repasse dos recursos estaduais. Levantamento da Amsop realizado em 11 municípios que tiveram a indicação de cancelamento do convênio apontou que a média de execução dos serviços é de apenas 33%.
 
Em Itapejara do Oeste, por exemplo, pouco mais de 37% das obras haviam sido executadas quando o convênio foi paralisado, em novembro do ano passado. A Prefeitura então rescindiu o contrato de cerca de R$ 1,2 milhão e tentou realizar nova licitação, mas foi comunicada pelo Estado que o convênio seria cancelado.

“A expectativa é de que isso se resolva e o contrato seja retomado, já que a obra contempla cinco trechos que estão iniciados e que a população aguarda a conclusão”, explica o prefeito Agilberto Perin.

Compartilhe: