Fonte: Assessoria UFFS

22/08/2018


UFFS lança Programa de Residência Pedagógica e atenderá três municípios do Sudoeste


Nesta terça-feira (14), a Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) - Campus Realeza promoveu o lançamento do Programa de Residência Pedagógica, destinado a aperfeiçoar a formação dos discentes de cursos de Licenciatura, por meio da imersão do licenciando em uma escola de Educação Básica. A cerimônia contou com a participação de professores e acadêmicos da UFFS, representantes do Núcleo Regional de Educação de Francisco Beltrão, além dos demais parceiros na implantação do Programa.

 

O núcleo de Realeza é composto por 28 residentes, sendo 19 acadêmicos de Ciências Biológicas, sete de Física e dois de Química, áreas do conhecimento que serão trabalhadas no Programa. As atividades serão coordenadas pelas professoras da UFFS, Sandra Maria Wirzbicki e Gilza Maria de Souza Franco, com a colaboração das professoras Bárbara Grace Tobaldini de Lima, Danuce Dudek e Claudia Fioresi.

 

Os residentes irão atuar no Colégio Estadual Doze de Novembro, em Realeza, no Colégio Estadual Cecília Meireles, em Ampére, e no Colégio Estadual Guilherme de Almeida, em Santa Izabel do Oeste. O trabalho dos residentes será acompanhado por professores da escola de educação básica, chamados de preceptores. Assim, serão preceptoras as professoras Neusa da Silva, Rosemari de Moura e Joelma Piccoli.

 

O programa terá 440 horas de trabalho distribuídas ao longo de 18 meses. De acordo com a professora Sandra Maria Wirzbicki, o primeiro semestre de atividade será reservado para a formação dos residentes e dos preceptores, bem como para a construção do plano de trabalho dos residentes - uma parceria entre os docentes da Universidade e preceptores da escola. Em 2019, se dará o efetivo trabalho nas escolas, com pelo menos 100 horas de regência.

 

Mais sobre o Programa de Residência Pedagógica

 

O Programa é implementado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), além de ser uma das ações que integram a Política Nacional de Formação de Professores.

 

O objeto é implementar projetos inovadores que estimulem articulação entre teoria e prática nos cursos de licenciatura. Esta vivência deve contemplar a regência de sala de aula e a intervenção pedagógica, as quais serão acompanhadas por um professor da escola com experiência na área de ensino e orientada por um docente da sua Instituição Formadora.

Compartilhe: