Fonte: Assessoria

12/03/2019


UFFS recebe doação de gavetas entomológicas da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul
UFFS recebe doação de gavetas entomológicas da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul


A Entomologia, ciências que estuda os insetos, demanda alguns materiais bastante específicos. Dentre eles, as gavetas entomológicas são imprescindíveis para acondicionar adequadamente os insetos, fazendo com que, em condições corretas de armazenamento, os espécimes permaneçam em ótimo estado por séculos. Para a preservação desses materiais, a Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) - Campus Realeza recebeu 53 gavetas da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul (FZRS).
 
A doação das gavetas entomológicas foi realizada no mês de dezembro de 2018, quando a professora do Campus Realeza Adelita Maria Linzmeier recebeu o material do curador da Coleção Entomológica da FZRS, Luciano de Azevedo Moura, especialista em besouros da família Chrysomelidae, mesma área de estudos da professora.
 
No Campus Realeza, as gavetas serão utilizadas para a preservação do material entomológico resultante de pesquisas científicas desenvolvidas em trabalhos de conclusão de curso, editais de fomento à pesquisa e iniciação científica. “Agora poderemos organizar corretamente o material entomológico proveniente de nossos estudos. A estrutura será montada a partir de doações tanto das gavetas, como dos armários, que foram doados pela Universidade Federal do Paraná", explicou Linzmeier.
 
Segundo o curador da FZRS, Luciano Moura, originalmente, as gavetas foram doadas pela Faculdade de Agronomia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul à Fundação Zoobotânica, quando a faculdade decidiu se desfazer de sua coleção entomológica. Os insetos foram incorporados à coleção da FZRS, porém as gavetas, que possuem um tamanho diferente e não se encaixam nos armários da Fundação, foram doadas para a UFFS. “As gavetas estão em ótima condição, são feitas de madeira de lei e possuem uma história”, afirmou Moura.
 
O espaço que abrigará os insetos será montado neste semestre. O trabalho será coordenado pela professora Adelita Maria Linzmeier e auxiliado por alunos de pós-graduação e que participam de projetos de iniciação científica. "Estamos levantando as primeiras informações sobre os insetos aqui na região, principalmente sobre os besouros crisomelídeos. Nesse estudo, já detectamos uma espécie nova que em breve será descrita. O importante é que todo esse material ficará à disposição de outros pesquisadores e estudantes que queiram ou necessitem estudá-lo", disse Linzmeier.
 
Sobre esse ramo da ciência, a professora destaca a importância dos insetos no equilíbrio ambiental, seja no controle de pragas ou mesmo na polinização de plantas. "Os insetos constituem o maior número de espécies animais as quais desempenham uma série funções ambientais tais como ciclagem de nutrientes, polinização, controle de pragas, predação, fonte de alimento para outros animais, além de algumas espécies serem importantes na produção de produtos como mel e seda, e outras por serem pragas agrícolas ou mesmo vetores de doenças. Assim, é importante conhecer as espécies que ocorrem em diferentes regiões, pois este conhecimento permite que avancemos em outras questões como sua origem, evolução, ciclos de vida, hospedeiros, padrões comportamentais e taxonomia", detalhou Linzmeier. 

Compartilhe: