Fonte: Assessoria UFFS

27/04/2019


Projeto da UFFS oferta oficinas de matemática a estudantes de Realeza
Projeto da UFFS oferta oficinas de matemática a estudantes de Realeza


Os alunos do Colégio Estadual XII de Novembro, de Realeza, terão um reforço a mais em matemática, pois os professores da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) - Campus Realeza estão ministrando oficinas nessa área. Cerca de 40 estudantes, do 1º ao 3º ano do Ensino Médio, participam das aulas de reforço que são realizadas nas dependências do colégio.

O objetivo, segundo o coordenador do projeto de extensão, professor Marcos Leandro Ohse, é preparar os alunos para enfrentarem vestibulares e o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), que está previsto para o mês de novembro. "Sabe-se que a matemática é uma das disciplinas que costumam trazer grandes dificuldades para os alunos do ensino fundamental e médio. Diversos exames nacionais e internacionais mostram que o ensino desta disciplina precisa ter um acompanhamento e um auxílio contínuo junto aos alunos. Sabendo desta dificuldade, propomos estas oficinas e, em havendo demanda, é possível estendermos a realização do projeto para outras escolas ou a abertura de novas turmas", comentou.

As oficinas são realizadas sempre às quartas-feiras, no horário das 13h30 às 16h30, e também contam com a colaboração dos professores da UFFS Everton Artuso e Carlos Alberto Cecatto. Até o mês de novembro, quando o projeto será finalizado, os participantes terão visto os principais conteúdos de álgebra, geometria, trigonometria, além da revisão de conceitos básicos. A realização do projeto é destacada pela diretora-auxiliar do colégio, professora Solange Regina Pierosan: "Projetos como esse contribuem para o desenvolvimento do raciocínio lógico dos alunos, além de estreitar os laços entre a Universidade e a Escola".

Entre os participantes, está a estudante Julia Rita Franco de Campos, de 17 anos. Ela está no 3º ano do ensino médio e pensa em cursar Ciências Biológicas. "Desde o 6º ano tenho dificuldades na aprendizagem da matemática. O curso é uma segunda oportunidade para fixar melhor esse conteúdo". Já o aluno do 2º ano, Lucas Balena, de 16, vê um futuro em Ciências da Computação e fala como foi a primeira oficina. "Achei incrível, pois o professor passou conceito por conceito, sem atropelos e de forma tranquila, já que as pessoas que estão aqui realmente querem esse conhecimento".

Compartilhe: